Aqueles dias e noites

Todos aqueles dias felizes
E eu sempre tive a impressão que nada acabaria
Que o conceito de infinito
Jamais cessaria
Basta olhar aquelas fotos antigas
Os sorrisos em belas faces, estampados
E nenhuma preocupação a assolar
Viver cada dia e nada mais

E todas aquelas noites tristes,
Esquecer o passado que ficou pra trás
Não se deixar levar – enlouquecer
Que tudo pode realmente mudar
Sem você ao menos perceber

Não existem mais conceitos
E o finito permanece no infinito
Como se nada mais fosse possível ou impossível
Sem regras – uma vida que parece novela
Cheia de reviravoltas – estrelas
Que parecem belas – na tela
E na vida – coitadas
São como a gente
Que enfrentam o frio com um casaco fino
E na chuva, molham-se
E com receio – nada revelam

Não adianta medir as consequências
Desejos intensos jamais serão guardados
A vontade é aliada
E eu não fujo
Porque sei que vai valer a pena.

Anúncios

Sobre Jacqueroll

Brasileira com muito orgulho, apaixonada pela cultura japonesa (j-pop/Johnny's/dorama/manga/anime/nintendo/日本語), arashian (嵐) e gamer (RPGs). Ver todos os artigos de Jacqueroll

Uma resposta para “Aqueles dias e noites

  • Thiago

    Well, apesar de não estar muito apto há isso, pelo menos em dias assim ruins eu consig escrever, por conta do meu mal-humor e ausencia indefinida segue dois dos quais escrevi…

    [Iludimos e somos iludidos!
    Nunca abriremos nossos corações!
    Nunca acharemos alvos escolhidos
    Em nossas inconscientes emoções!

    E, com estas perecíveis condições,
    Nunca desvendaremos o ocorrido!
    Nunca descobriremos o pedido
    Guardado em nossas próprias orações!

    É como se vivêssemos perdidos
    Entre predestinadas direções
    E com limitadíssimos sentidos.

    É como se tivéssemos grilhões
    Que nos prendessem ao desconhecido,
    Vivemos na prisão das ilusões.]

    [Depois de tanta esperança perdida,
    Quem dera amor, se consentisse
    ao menos um instante do que disse
    “ser a paixão da sua vida…”

    Não tão somente amor negou
    Talvez também a luz do entendimento…
    Já a farsa do fingimento
    outras tantas vezes, mostrou.

    Esta é a suprema dor que me aperta
    Quando sinto que desejo o esquecimento!
    Amor: complexo sentimento!

    Um erro que tarde se desperta:
    – como uma certa força que careço –
    Um bem que, mesmo sem tê-lo, reconheço.]

    [Thiago]

    Beijos e cuide-se até mais ver…

Obrigada por visitar meu blog de poesias. Se tiver algum comentário ou crítica, fique à vontade para comentar.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: